Tribunal condena réus a 16 e 21 anos de prisão

Tribunal condena réus a 16 e 21 anos de prisão

Edson Ernesto Fútila, Sílvio Massango, ambos de 23 anos, foram ontem condenados a 21 anos de prisão, pelo assassinato, em Janeiro, de Osvaldo Manuel Pacavira Narciso “Maju”, naquele que ficou conhecido como “Caso Jaguar”. Já Amadeo Joaquim, de 34, e Evénio Pontes, 30, foram sentenciados a 16 anos de prisão.

Os réus vão pagar 180 mil kwanzas de Taxa de Justiça e 20 milhões de indemnização à família da vítima. Edson Fútila e Sílvio Massango foram sentenciados como co-autores nos crimes de homicídio qualificado, roubo qualificado, ocultação de cadáver e posse ilegal de arma de fogo, enquanto Amadeo Joaquim e Evénio Pontes, na qualidade de cúmplices nos crimes de homicídio qualificado, roubo e posse ilegal de arma de fogo.

Edson conheceu Osvaldo em 2017. Este vendia um BMW e o outro manifestou interesse em comprá-lo. Enquanto negociavam, apercebeu-se que Osvaldo era detentor de vários carros, in-cluindo um Jaguar, que foi o motivo do assassinato.

Close Menu