«Defendemos o respeito pelos adversários. Depois daquele resultado achamos que era melhor o treinador sair», contou Pablo Alcaide, membro da direção, ao jornal «El País».

O mesmo jornal cita o advogado do treinador, cujo nome não é revelado. Que mostra-se incrédulo com o sucedido, defendendo a atitude do técnico.

«Ele pediu aos jogadores para pressionarem apenas no meio campo defensivo. Mas os rivais continuaram a atacar e a deixar espaço nas costas», disse o advogado.

O Benicalap C foi último classificado do campeonato sem qualquer ponto somado em 30 jogos e com 247 golos sofridos.