OGE atribui mais de 60 milhões de Kwanzas para actividade do MPLA e gera polémica no Parlamento

OGE atribui mais de 60 milhões de Kwanzas para actividade do MPLA e gera polémica no Parlamento

As verbas que constam na Proposta do OGE para o exercício económico 2018. Destinadas a organizações ligadas ao partido no poder estão a gerar polémica na Assembleia Nacional. Nomeadamente as atribuídas aos torneios desportivos que carregam o nome do ex-Presidente José Eduardo dos Santos “ZeDu”.

Os deputados da oposição mostraram-se incrédulos, criticando a inclusão destas verbas. Argumentando que “as mesmas deveriam beneficiar os sectores da agricultura e social, que enfrentam vários problemas”. E estão subfinanciados face à necessidades do país e às proclamações que são feitas pelo Governo.

Numa fase em que as instituições de educação primária vivem dificuldades enormes por falta de verbas. Que perigam a abertura do ano lectivo para milhares de crianças

Para o deputado da UNITA Alcides Sakala, por exemplo, “a questão da reinserção dos ex-militares continua inconclusiva e com muitas indefinições”.
“Na proposta do OGE 2018 não há programas específicos relativos a esse assunto”, disse Sakala. Considerando importante este passo mais importante para a “manutenção da paz e estabilidade e afirmação da reconciliação nacional”.

Um outro deputado da UNITA, David Mendes, alertou para que se melhorem as condições de funcionamento dos serviços prisionais. Bem como o tratamento prestado aos cidadãos detidos nas cadeias.
“Os prisioneiros vivem em condições sub-humanas, sujeitos á má nutrição e vulneráveis a todo tipo de enfermidades”. Acusou David Mendes, em declarações ao Novo Jornal Online.

Segundo David Mendes, para os torneios internacionais “Zé Du” em Automobilismo. O OGE reserva 13,7 milhões de Kuanzas e 27, 4 milhões de Kuanzas para o torneio de Hóquei em Patins.
O OGE 2018 conta ainda com uma verba de 25,5 milhões de kuanzas. Para apoiar a realização da edição deste ano do Campo Nacional de Férias dos Estudantes Universitários (Canfeu). Promovido anualmente desde 2002 pelo secretariado nacional da organização da Juventude do MPLA (JMPLA).
O deputado da CASA-CE, Manuel Fernandes, também criticou a situação. Salientando que tais valores atribuídos às instituições ligadas ao MPLA deveriam beneficiar o sector agrícola.
Com despesas e receitas de 9,658 biliões de kwanzas. A proposta de Lei do OGE 2018 foi aprovada com 144 votos a favor, do MPLA. Nenhum contra e 56 abstenções, da UNITA, da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), PRS e da FNLA.

NovoJornal

Close Menu