Impressa russa revela ainda não haver contacto com o AngoSat-1. Falha na ” fonte de energia” pode ser a razão

Impressa russa revela ainda não haver contacto com o AngoSat-1. Falha na ” fonte de energia” pode ser a razão

Depois de ontem ter sido avançado que a Rússia perdeu o contacto com o primeiro satélite angolano. A imprensa russa informa hoje que a comunicação com o AngoSat-1 ainda não foi restaurada. E noticia que a falha pode ter sido causada por um curto-circuito. O Governo angolano diz não haver razão para alarme.

De acordo com o site estatal russo Sputnik International. Que cita uma fonte da indústria espacial, a falta de contacto com o AngoSat-1 mantém-se.
“Durante a noite não foi possível restaurar a ligação. As tentativas continuam, mas uma anomalia na fonte de energia pode revelar-se fatal”, avisa a fonte do Sputnik International.

Já a agência privada de notícias Interfax segundo o Novo Jornal online. Adiantou que a falha verificada pode ter sido causada por um curto-circuito.

As notícias veiculadas pelos órgãos russos têm sido desvalorizadas pelo Governo angolano.
Em declarações publicadas hoje pelo Jornal de Angola, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha. Reconhece que “é normal que haja preocupação, visto ser a primeira vez que Angola entra para o domínio espacial”, mas garante que “não há razões para alarme”.

Segundo o governante, Angola foi informada “pela equipa que está na estação de Baykanour que o satélite está na sua base orbital”.

O ministro ressalvou, porém, que será preciso esperar pelas próximas 12 ou 14 horas. “Para que os engenheiros possam concluir com exactidão o que se está a passar, com recurso à observação microscópica. Deste modo, será possível determinar que comandos enviar para o engenho”, esclareceu.

 

Novo Jornal (texto original)

Close Menu