Foi raptada, feita escrava sexual e condenada a prisão perpetua por matar agressor, Rihanna e Kim Kardashian apelam a sua libertação

Foi raptada, feita escrava sexual e condenada a prisão perpetua por matar agressor, Rihanna e Kim Kardashian apelam a sua libertação

 Cyntoia Brown foi traficada e vendida a Johnny Allen, de 43 anos, depois de ter sido abusada e drogada por outro abusador.

Após vários anos de abusos, a norte-americana matou Johnny Allen com uma das armas de coleção que estavam na casa e fugiu com a carteira e a arma do crime em 2004.

A jovem, que tinha na altura 16 anos, foi julgada e condenada por prostituição e roubo.

Cyntoia Brown contou durante o julgamento que tinha sido agredida, arrastada e que por várias vezes tinha tido uma arma apontada à cabeça.

13 anos depois, o caso voltou a ser falado quando Rihanna, Cara Delevingne e Kim Kardashian se juntaram para apelar à libertação de Cyntoia Brown que tem agora 29 anos.

Várias celebridades já demontraram apoiar o movimento que conta com a hashtag #FreeCyntoiaBrown (Libertem a CyntoiaBrown).

“Alguma coisa está terrivelmente errada quando o sistema deixa escapar violadores e a vítima é presa para o resto da vida! A todos os responsáveis pela sentença desta jovem, peço a Deus que não tenham filhos, porque esta poderia ser a vossa filha, punida por já ter sido punida”, defendeu Rihanna no Instagram.

“O sistema falhou. É de partir o coração ver uma jovem ser traficada e, quando ganha coragem de lutar, ser presa para o resto da vida! Nós precisamos de fazer melhor, fazer o correto. Liguei para os meus advogados para ver o que pode ser feito para emendar isto”, escreveu Kim Kardashian no Twitter.

Close Menu