Benfica saiu de Chaves com um ponto e um ‘dilúvio’ de problemas
Chaves, 27/09/2018 - O Chaves recebeu esta noite o Sport Lisboa e Benfica, no Estádio Municipal de Chaves, em jogo a contar para a 6ª jornada da I Liga 2018/19. Rafa (Ivan Del Val/Global Imagens)

Benfica saiu de Chaves com um ponto e um ‘dilúvio’ de problemas

Encarnados estiveram a vencer por duas vezes, mas não conseguiram segurar a vantagem. Num jogo onde perdeu Jardel, Gabriel (ambos por lesão) e Conti (expulso), Rui Vitória arrisca-se, como consequência, a partir para o Clássico em desvantagem pontual em relação ao rival FC Porto.

Benfica saiu de Chaves com um ponto e um 'dilúvio' de problemas

Parada e resposta

A quinta-feira era de calor em (quase) todo o país, mas uma súbita ‘carga’ de água abateu-se sobre Trás-Os-Montes, deixando o relvado do Estádio Municipal de Chaves em sério risco de não cumprir com os requisitos mínimos para receber o encontro entre a equipa da casa e o Benfica.

João Capela subiu por várias vezes ao relvado, mas só 60 minutos depois da hora prevista para o arranque do jogo – 20h15 – se mostrou, por fim, satisfeito com as condições do reduto. O apito final soou, finalmente, e três minutos depois… eis que surgiu o golo do Benfica, com Rafa, a encostar um passe de Franco Cervi para o fundo das redes.

Um autêntico balde de água fria – depois do dilúvio que se havia feito sentir pouco antes – sobre os homens de Daniel Ramos, que, ainda assim, se recusaram a baixar os braços. Encararam o adversário olhos nos olhos e, não fosse uma grande exibição de Odysseas Vlachodimos, podiam facilmente ter equilibrado a balança ainda antes do recolher aos balneários.

Na segunda parte, o Benfica conseguiu recompor-se, mas acabou por ser o Chaves a chegar ao golo. Ghazaryan, com um livre ‘do meio da rua’, quebrou, por fim, a resistência do ‘gigante’ guarda-redes alemão e repôs o empate, a apenas 15 minutos do fim.

Estavam lançados os dados para o que se adivinhava ser uma ‘noite de loucos’. Nem dez minutos depois do golo flaviense, Rafa, após um belo passe de Rúben Dias, fez o 2-1. Foi então que, aos 87 minutos, Germán Conti – que tinha entrado para o lugar do lesionado Jardel – recebeu ordem de expulsão após uma entrada dura sobre João Teixeira. Já em tempo de compensação, Ghazaryan voltou a fazer das suas e, com um remate cruzado, fez o 2-2 final.

Dores de cabeça na defesa, no meio-campo… e na tabela

O Benfica passa, assim, a somar 14 pontos, e, embora ocupe a liderança isolada de forma provisória, sofre uma dupla ameaça: do FC Porto (12 pontos), que, já esta sexta-feira, recebe o Tondela, e do Sporting de Braga (13 pontos), que, no domingo, visita o Belenenses SAD. Mas os problemas não se ficam por aqui para Rui Vitória.

Já sem Luisão, que ‘pendurou as chuteiras’, o treinador encarnado viu dois dos seus centrais entregarem-lhe más notícias: Jardel, que saiu logo aos 15 minutos devido a lesão, e Germán Conti, seu substituto, que recebeu o cartão vermelho direto.

No meio-campo, foi o reforço Gabriel a complicar as contas. Lançado para o lugar até agora ocupado por Gedson, o médio ex-Leganés viu-se forçado a deixar o campo de maca aos 63 minutos, devido a uma lesão no joelho esquerdo. Tudo isto em véspera de visitar o AEK, para a Liga dos Campeões, e de receber o FC Porto, para o campeonato nacional.

Do outro lado da ‘barricada’, Daniel Ramos teve bem mais motivos para sorrir. Não só viu a sua equipa mostrar capacidade de reagir à adversidade por duas vezes – a segunda aos 90+4’ – como também vislumbra o iniciar de uma série prometedora: nos últimos três jogos, empatou com FC Porto e Benfica. Pelo meio, foi ao Bessa bater o Boavista por 2-1.

Close Menu