Ainda sobre aquele assunto FS vs PX – Por Isidro Fortunato

Ainda sobre aquele assunto FS vs PX – Por Isidro Fortunato

Isidro Fortunato aka Xtigma, é Rapper,  ativista Social e Afrokrata. Fez uma análise na sua conta do Facebook sobre o tema mais badalado do Rap angolano.

Bem sempre fui bastante critico com a Força Suprema, na verdade a música que os mesmos fazem é mais nociva do que propriamente construtiva. Mas não será este o ambiente actual que o RAP vive? Concordo que o álbum negócio Fechado dos Kalibrados, e o albúm Firmes da Army Squad são clássicos no HipHop Nacional. E que graças a estes álbuns o Hiphop se reinventou e tomou novas proporções assim como novas definições.

Mas claramente reduzir o trabalho da FS a lixo 100% é claramente um erro, a FS tem letras que também valem a pena escutar. O NGA tem letras motivadoras também, embora se fixe muito em uma imagem rebelde e temas street Vida Loka. E as músicas do mesmo que mais fazem sucesso são as músicas de “fractura social”.

O percurso da FS em si é motivador. E eles transportam mia da realidade que viveram até atingir o topo em suas músicas.

Eu acho isso motivador e positivo. Infelizmente estamos em uma sociedade onde as pessoas não estão educadas e têm grande predisposição a colher o lado errado das coisas. (E isto é válido para todos os aspectos da vida social) que se expõe em quaisquer conteúdos.

O formato actual da nossa sociedade sem dúvidas facilita o sucesso da força suprema(FS). Se existisse mais educação social, haveria mais filtros e as pessoas saberiam extrair o melhor da FS. Com o tempo você aprende que não pode ser imparcial fazendo análises, e que apesar de tudo, devemos fazer justiça nas nossas palavras.

Negócio Fechado de 2005, e Firmes lançado em 2004, sim são grandas álbuns, mas o tempo não parou em 2004 tampouco em 2005. De lá para cá muita coisa se passou, e resumir a carreira destes dois super-grupos (Army e Kalibrados) em duas obras é certamente redutivo. Um exemplo claro desde lá até aqui o que os Kalibrados fizeram de relevante?

O grupo se dissolveu ou seja houve exclusão de elementos o que enfraqueceu a ideia do grupo. Kalibrados começou como Quarteto, e como quarteto a magia estava na combinação.

A exclusão do Mr K não mostrou somente fraqueza do grupo. Este deslize mostrou também que sempre existiu ambição, ganância, e falta de lealdade, e honestidade pois não é normal um grupo sofrer rupturas em pleno auge, isso é mau.

 

A FS embora sejam cantores virados a um estilo de musicas com conteúdos que reprovo. Na sua maioria eles demonstram respeito pelos seus e lealdade, não sei se um dia verei Prodigio em Beefs com o NGA ou o MAsta em Beefs com o Don G.

Em suas músicas eles mostram irmandade e reconhecimento de histórias que partilharam juntos da sargeta até ao sucesso. Dizer que o NGA não tem boas músicas é claramente uma injustiça (que eu próprio ja pratiquei). Reduzir o Prodígio a nada é claramente outra injustiça (eu também já fiz isso).
Kalibrados desgastaram a imagem do grupo depois do Negócio fechado. Andaram a tentar tantas formúlas e formas de se manter no mercado que foram infrutíferas. Muito Bounce, até mesmo ja fizeram Kizomba mas ninguém reclama, inclusive a música DRENA que tem videoclipe.

Aquela música é uma convite a promiscuidade as House partys onde se desenrola sexo, consumo de bebidas alcoólicas, entorpecentes e outros. Não vi ninguém falar nada sobre o assunto, existem relatos que o ultimo trabalho do grupo com a volta do Mr.K somente comporta 4 músicas boas.

As tais que nos fazem viajar no conceito do álbum negócio fechado. Uma tentaiva de ressuscitarem a formula do sucesso do Negócio Fechado que parece não ter resultado.
Pode parecer que não, mas o RAP mainstream é um mercado extremamente volátil, as mudanças os modismos e as adaptações surgem com frequência. Poucos são os artistas que conservam o seu estilo, e mantêm intactas as suas formulas de sucesso.

Kalibrados separados não fazem sucesso, Mr.K a solo não fez sucesso, Ivo Duvalle a solo não fez sucesso. Embora tenha lançado bons trabalhos entre eles destaco a Mixtape Mafia King que comportou uma participação da FS. Laton não fez sucesso, Kadaff não fez sucesso sozinho.

Ao contrário da FS em que o Prodígio faz sucesso sozinho, o NGA também. Quando olho para a FS hoje em dia, vejo um grupo de jovens batalhadores com um percurso de tirar o chapéu.

Digo que suas letras não me causam grande interesse, salvo umas poucas em que aparecem mais introspectivos nos temas. A realçar a sua caminhada da lama ao topo, naquelas músicas motivacionais que incentivam jovens a se alternarem.
Mas costumo dizer o estado da nossa sociedade auxilia o sucesso dos mesmos. A degradação social, a imoralidade social, a injustiça social e tantos outro elementos de depressão, são bases solidas de certificação do sucesso da Força Suprema em terras de José Eduardo.

A nossa sociedade falhou redondamente, o que acontece aqui não é somente culpa da FS, no final do dia é culpa de cada um de nós. Mulheres cantam músicas fúteis, homens também, ninguém parece ter uma responsabilidade de transformação social. Essa falta de educação artística e social vertiginosa, essa aculturação doentia, são as formulas de sucesso da FS.

Mas será que os tais monstros do Hiphop Angolano têm feito melhor? Pelas ultimas músicas se formos falar em conteúdo, julgo que não. Os integrantes do Projecto X, falam de riqueza em terra de corrupção e luxúria, gabam-se de bens que ostentam. O que mostra bem no que se tornaram.

Suas músicas são um convite a violência social e glamourização da pobreza. Sem esforço eles legalizam a violência social, bem, não foram estes Kalibrados que me fizeram escutar de ponta a ponta o “Negócio Fechado” nem o esta Army que me fez escutar o Firmes da Army Squad.

Hoje eles são Bentley Boys em cima de gente pobre, uma terra com aberrantes desigualdades sociais e miséria. Gabam-se de Pais que sempre tiveram dinheiro e de mulheres que “foderam” nas casas do mussulo. Me diz qual é a diferença que têm com a Força Suprema?

A FS pelo menos tem um historial de batalha e lutas, não comeram de um pai com cargo público que esteve envolvido em escândalos de corrupção. Que de certa forma acabou por privar de uma vida melhor muita gente.

Vendo jovens adultos se gabarem de ostentação que foi favorecida pela desgraça dos outros, é uma vergonha. Gabar-se de lojas em França onde faziam compras milionárias é vergonhoso, um preto se chamar de Mussum (um estereótipo racial muito usado na sociedade Brasileira do preto burro) é ignorância e falta de conhecimento.

É ver a Army Squad que desde o Álbum firmes que parece que ficou um Private Business do Sandokan. Só ele lança álbuns, não há espaço para o Mankilla, para o D-ONE.

São estes que devemos estar agradecidos por um álbum de 2004? Mano Please nem a Army lançou mais nada desde então como grupo. Mas o “GAME” não parou em 2004 muito menos em 2008. A cena continuou até hoje.

Outro ponto que acho ser oportuno é ressaltar que a Army Squad nunca foi um grupo de batle. É um grupo que ganhou notoriedade pelas suas composições e sua presença em palco. O confronto na Altura entre Kalibrados & Army Squad. Que resultou em um Show todos sabem que foi uma disputa musical uma espécie de “Turf War”(Guerra de território, onde claramente se destacou a Army.

Kalibrados sempre foram um grupo polémico em termos de Beefs com artistas durante a época em que o HipHop respirava Kalibrados. Hits como soldados civis são referências desde o mainstream ao Underground.

Mas o que fez os Kalibrados foi a junção destes 4 elementos e a combinação que geravam quando entrassem em acção. O primeiro álbum, foi muito Dope Hell Yeah. Mas depois começaram a descair até aos Diários da República, trabalhos a solo não tiveram tanta notoriedade. A era dos Kalibrados poderia ter se extendido por muito mais tempo. Se o grupo não tivesse sido agredido por conflitos internos. Que claramente acabaram por desestruturar e matar o tempo de vida do grupo.

Quanto a Army Squad, a muito tempo que é Sandokan, até parece que outros elementos não possuem capacidade de lançar seus álbuns a solo. Até mesmo o Mankilla foi inviabilizado pelo desgaste de imagem do Sandokan. Com as suas sagas de tubarão daqui, Tubarão Acolá.

Estou longe de ser um apreciador da Força Suprema e dos seus integrantes. Mas por uma questão de justiça devo a mim mesmo imparcialidade quando o assunto for dar a minha opinião sobre os mesmos.

O Rap tem essa dos egos, essas guerras de Ego e todos conhecemos muito bem, quem viu Kalibrados na sua época de ouro sabe do que falo. Quando o Ivo Duvalle saía a desrespeitar tudo e todos, não critico o Nigga era o momento do mesmo do grupo. Mas as regras mudaram enquanto haver Rap vai existir Egos, portanto a guerra esta a vista, FS disparou esperamos pelos pronunciamentos do PX.

 

Facebook: Por:MrºStreetknowledge(Isidro Fortunato)
Close Menu